domingo, 13 de setembro de 2009

Two And a Half Men - A comédia mais bem sucedida de Hollywood

Por Felipe Ribeiro
e-mail: redacao.felipe@ppagina.com

Charlie Sheen e companhia fazem de Two and a Half Man a maior comédia da atualidade

Estabelecer um ponto de equilíbrio entre a comédia e o drama tornou-se uma tarefa fácil para os protagonistas de Two And a Half Man. Um solteirão rico, charmoso e com coração mole, somado a um pai divorciado, cheio de neuras e com um filho preguiçoso e nada inteligente – porém muito esperto – trazem à tona a realidade de algumas famílias norte-americanas.

Charlie Harper, um compositor de jingles, solteirão e cheio da grana, (Charlie Sheen) é dono de uma casa na praia em Malibu. Está sempre rodeado de garotas e não quer saber de compromisso com nenhuma delas. Até que um dia, no seu leito sexual diário e com uma companhia bem agradável, ele recebe uma ligação de Alan (Jon Cryer), seu irmão mais novo, dizendo que havia sido expulso de casa por sua esposa, Judith (Marin Kinkle).

Aparentemente tranquilo, Charlie continuou na sua “empreitada”, quando, de repente, Alan abre a porta do seu quarto. Dando início a uma das maiores comédias de todos os tempos.

Alan, diga-se de passagem, pode ser considerado uma espécie de “Pai” para Charlie. Mesmo sendo mais novo, Alan teve experiências que Charile jamais tivera, e vice-versa, e trouxe um pouco de responsabilidade à casa. O típico nerd, de uma mulher só, pai dedicado e trabalhador, faz de Alan um dos personagens mais queridos da série.

Já conseguimos achar dois homens, mas falta um. Aliás, meio. Jake (Angus T. Jones) é um moleque aparentemente inofensivo, um tanto quanto nojento, mas muito esperto. O filho de Alan só vem para a casa do tio e do pai aos fins de semana, mas, ao que parece, os fins de semana dos Harper parecem uma eternidade com a presença de Jake.

Fato é que, Charlie e Alan querem o melhor para Jake, e, de forma meio atrapalhada, tentam dar o melhor para o pequeno rapaz.

Além de Charlie, Alan e Jake, a trama é cercada de muitos outros personagens importantes, e que ajudam a entender um pouco dos três. Muito da personalidade dos irmãos Harper é explicada pelas características de sua mãe, Evelyn (Holland Taylor), uma mulher inescrupulosa, cética e pouco humilde, que nunca teve um casamento firme, mas, que acaba sendo um dos pontos de equilíbrio entre Charlie e Alan: ambos a odeiam.

Outra personagem que merece destaque é Berta, a empregada de Charlie, e talvez, a única mulher que ele respeita na face da Terra. O sarcasmo é sua principal característica, além do seu enorme tamanho, o que certamente intimida o nosso bonitão.

Intimidação leve, porém eficaz, vem de outra pessoa da trama: Rose, a vizinha de Charlie. Inteligente, linda e sagaz, Rose persegue Charlie desde que ambos tiveram um pequeno chamego. Charlie nega veementemente, mas Rose é a única mulher que consegue arrancar algum tipo de sentimento positivo dele. Mesmo sendo uma perseguidora louca e com atitudes um tanto quanto estranhas, Rose é carismática e mantém, pelo menos até agora, certo amor por Charlie. Algo que é raro de ver durante todo o sitcom.

Two And a Half Men é cercado de muitas coisas, muitas mensagens. Talvez, descrevê-las aqui seja burrice da minha parte, mas, espero futuramente aprofundar-me mais sobre esta série maravilhosa. É exibida no Warner Channel, diariamente, com episódios inéditos todas as terças-feiras.

Um comentário:

  1. gravel kucinich paul nader13 de setembro de 2009 15:10

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir